segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

exercícios banais 1


já conheci
crianças armadas e bêbadas ensandecidas 
policiais às três da madrugada em lugares ermos
já senti na pele metralhadora, faca, estilete
e já voei aviões que cairiam
tive praga na fazenda, doença grave, morte na família
enfrentei crises, desemprego, acidentes, filas
já olhei nos olhos de meus assassinos... 

mas nada, nada é mais aterrador que a normopata
num guichê do DETRAN.

7 comentários:

  1. que bom que fez um blog Madeira pra gente ter contato rápido e reto com tua poesia que a julgar por esta num guichê de humor e até denúncia se faz tão essencial forte abraço Lepre

    ResponderExcluir
  2. legal rodrigo de ver vc assim se animando com o mundo dos blogs. dá até uma coceirazinha nas mãos nos dedos de fazer um tb...

    boa sorte e que bom poder te ler assim

    abç,

    rods.

    ResponderExcluir
  3. é isso aí, rodolfo. legal vc aparecer...

    abraço.

    ResponderExcluir
  4. vê como a vida se padece nos bancos se perde nas filas, indianas por hipóteses, frias engrenagens do sistema dilacerante...

    r.w.

    ResponderExcluir
  5. legal que vc apareceu, rafael. o importante é tentar arrancar poesia a tudo. "porque a vida, a vida, a vida, a vida só é possível reinventada". (c. meireles)
    volte sempre. abraço.

    ResponderExcluir